miguelbmiranda@sapo.pt

Friday, July 28, 2017

O Comandante Guélas - Série ISEF - Palitos e Anafados






O Comandante Guélas

Série ISEF 5  

A organização do almoço anual da Turma 2 do curso de 1981 do Instituto Superior de Educação Física de Lisboa foi desta vez da responsabilidade do Xarepe, por isso trouxe à memória deste humilde cronista aquele mês de junho de 1983 em que o algarvio lhe colocou o nariz à banda, e o obrigou a ir endireitar a penca para um bloco operatório lá para os lados do Lumiar, e tudo porque o jogador se recusara, por uma questão ética, a fazer um ensaio no jogo de rugby sem passar por cima do adversário, que se escondera atrás dum poste, depois de o ver a dizimar os colegas desde o meio campo. A farra iniciou-se com o som metálico da Vespa do stor Jaques a derrapar na areia do parque de estacionamento do restaurante, não porque tivesse carregado a fundo no travão, mas porque a chapa vinha colada ao chão devido ao excesso de massa muscular do Fotocopiador do Jamor, o equivalente nacional do Schwarzenegger. Enquanto este exterminava os maus, aquele arrasava com os tinteiros e as resmas do patrão durante as longas madrugadas. Mas este repasto fica marcado pelo peso emocional das ausências de dois monstros do pino e da cambalhota, tendo este último exercício como representante máximo da Turma 2 o stor Sérgio, que fazia enrolamentos rígidos, que davam sempre a impressão de ter um espartilho, e tudo isto a uma distância analítica do colchão: o reformado Pedreta e o cobridor Parrilha! O primeiro justificou a falta por estar ao serviço da selecção de Dominó e Milho aos Pombos do clube recreativo “Mata Velhos” de Palmela.
- Sou bom no “Pão às Gaivotas”, mas na nossa terra ainda não existe essa modalidade geriátrica, - justificou-se o Corista, colega de reforma e presente no repasto, que também confidenciou que costumavam falar do tempo em que trabalhavam.
O segundo pela inesperada visita das duas suecas dos tempos do ISEF, agora reformadas, e decididas a pagarem-lhe a gasolina que tinham deixado em dívida. Mesmo assim confidenciou que a cara dele está espalhada pelos quatro cantos do concelho, esperando com isso conquistar os paços, para assim poder organizar um repasto condigno da Turma 2, contrariando o sempre presente vereador Anselmo que nem uns pastéis de bacalhau foi capaz de dispensar quando foi dono e senhor do Montijo.
- Sentimos a falta daquele charme especial que só um judoca dançarino de excepção sabe transmitir, - confidenciou a professora Cucharra, dando uma festinha marota no marido.
- Os saltos dele nas aulas de dança faziam-me lembrar sempre uma hipérbole, que me causava muitos calores, - retorquiu a stora Paula.
- Ele tem imensas possibilidades e sempre foi capaz de fazer os mais incríveis “pliés”. – reforçou a Beta, ao mesmo tempo que tentava tirar a tinta laranja do cabelo, sinal de uma noitada a colar cartazes do PSD.
- O Parrilha também devia ter dado um sensual técnico oficial de contas, - explicou a Guida, que há muito tinha trocado o fato de treino pelo fascínio das operações matemáticas.
O encontro deu para sentir os diferentes efeitos da crise nos profissionais do pino e da cambalhota: uns aumentaram de volume, outros diminuíram drasticamente! O Jaques também confidenciou que tinha saudades das suas meninas, as fotocopiadoras e a Glorinha, sempre vestidas de púrpura e escarlate. E o parque automóvel também fez a diferença, o Chico estacionou o veleiro em Vila Moura, e exigiu ser tratado por Comodoro, e o Jaques a já mencionada Vespa à porta do restaurante. O Alentejano trouxe a cara metade, comeu por três e fez o discurso de encerramento, confidenciando que iria ser a partir do próximo ano lectivo o “alentejano de Olhão”. Foi um almoço de conversa mole, em que dominou a entrega ao próximo.

Sunday, July 02, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 98 - Por qué no te calas?

O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol .A. 29

No último domingo oficial o Preto estava destinado a perder porque conseguiu a proeza de escolher dois Chonés, o Tarolo e o Tarolinho! Sim, o pai enviara o quarto e último Neves, aproveitando o tradicional desconto do último jogo da temporada. E a tensão entre os perdedores foi tão grande que, mais uma vez, houve uma altercação entre o Caramelo e o Taroulo, quando este lhe passou a bola e o companheiro não a apanhou:
- Mexe-te caralho, - gritou o irmão do Tarolinho..
O Chico Paulo, regressado dum estágio de Padel na Brandoa, explicou de seguida ao filho do Choné a incongruência da opinião:
- Devias ter dito ao contrário – e pôs-lhe a mão no ombro! - Gritavas para o Caramelo “mexe-te Caralho”, ele desmarcava-se, e tu assim passavas-lhe convenientemente a bola. 
Na estatística pudemos ver que o Pai do Clark Kent, o único que persegue inversamente o Ronaldo em títulos, estabeleceu um novo recorde, este domingo conseguiu dar, durante os 70 minutos, 10 passos para trás, e 10 para o lado:
- Terá ele percebido que estávamos a jogar futebol? – Perguntou o Fininho no Whatsapp.
- Nop, - respondeu o Espalha.
- Deve ser das pancadas que leva na cabeça no Karaté!
E deveria ser, porque no final do jogo tornou a fazer a mesma pergunta que nunca deveria ser feita aos membros do Futebol P.A., dizia a estatística com 40 anos:
- Para a semana alguém quer jogar? Arranjamos outro campo!
Todos puseram os braços no ar, mais uma vez ia-se tentar jogar em Julho, e se se conseguisse seria batido mais um recorde. O campo era o de reserva, também do Espalha, mas a tradição manteve-se, estavam oito jogadores para um campo de vinte, todos à sombra de uma árvore como as ovelhas. O Choné era um deles, mas vinha avisar que as suas crias afinal não podiam estar presentes, como prometera no Whatsapp, tinham bebido Champomy em excesso na noite anterior, e estavam em ressaca.
- Mais uma razão para os trazeres, talvez conseguissem jogar finalmente à bola, - disse o mister Fininho.
Não houve jogo, por isso conversou-se. Todos ficaram a saber, ao fim de quase meio século desportivo, que o dono dos espaços desportivos onde os atletas do Futebol P.A. mostravam a sua magia, se dedicava a observar a passarada nos momentos livres. E falou-se também da possibilidade do campo do Lagoas, um espaço já com um peso cultural e por isso protegido pela Lei de usucapião, ser transformada em campos de Padel.
- O quê, aquela malta esquisita de que vocês falam, o Cociolo, o Conan Vargas, o Big Mac, o Choné, no Lagoas Parque? – Perguntou o Laranja, fazendo alongamentos encostado a uma árvore.
O Incha Padel iria trazer para aquele espaço requintado a aflição, o anti-desporto, mesmo já tendo no seu ceio um Chico Marinheiro, o Tacho, que abandonara um jogo, furioso com o seu próprio desempenho, e com a qualidade do Big Mac, um atleta federado da Associação Padeleira da Brandoa; e têm também um Milhas, o Cociolo, o guru do Conan Vargas, uma espécie de Choné.
- Não passarão, - prometeu o Espalha.
O único que ganhou com este primeiro domingo de julho foi o Peidão, que saiu com a bolsa da dízima carregada de euros, e a prometer repetir a proeza para o próximo ano!

Wednesday, June 21, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 97 - Os amigos do Bill


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 28

A notícia caiu como uma bomba no Futebol P. A., por isso foram lançados de imediato, pelo Espalha, foguetes ao Santo António: o Bill fora contratado pelo Chalmine F.C., uma equipa da 5ª divisão de Macau, sem cláusula de rescisão, nem direito a devolução antecipada até 2100.
- Resolvi fazer um upgrade na carreira de jornalista, vou puxar um riquexó! – Explicou o atleta ao Clark Kent. – E continuar a treinar. Vou também praticar Padel Chinês, que se joga com pauzinhos e arroz.
O ponto mais alto da comemoração foi quando o Fininho tomou as rédeas, e fez um discurso emocionante:
- Caros colegas, o Bill, grande jogador quando não joga, fará este domingo o seu último jogo, pois conseguimos, graças a Deus, vende-lo aos chinocas.

Palmas e Abraços!

E continuou:
- Onde, além de ir jogar, vai abrir uma loja, um casino, um restaurante, um balneário novo, uma lavandaria. Não foram fáceis as negociações, mas através de grande esforço do Peidão e do Espalha, conseguimos receber e não pagar. Foi um milagre!

Mais palmas, mais abraços e uma reacção inesperada: o Pipi das Meias Altas começou a chorar compulsivamente, abraçou o Bill e gritou:

- Não me deixes camarada, graças a ti e não a Ele, porque sou ateu graças a Este, quebrei um jejum de vinte anos sem marcar golos!

O Fininho, o maior orador da Avenida, discípulo do Daniel do Lopes, sabia que tinha de prosseguir com a missão que lhe fora atribuído pelo Futebol P.A., o discurso do adeus ao Bill:
- Um par de meias para mim, que até nem preciso, um lugar de vereador para o Espalha, um bloco electrónico para o Peidão, para que não seja enganado pelo Preto, um andarilho eléctrico para o Choné, uma bola para o Taroulo, um lenço para o Brinca na Areia, para não sair a chorar, dois bilhetes de avião, um para o regresso do Chico e outro para enviar o Milhas para a Síria. Parece-vos bem?

Aplausos, lenços brancos na mão a abanarem em direcção ao Bill.

E continuou:
- E mais algumas coisas para distribuir por outros jogadores. Por isso pedimos a presença do maior número de jogadores para uma grande despedida ao nosso amigo Bill, e para nos certificarmos que ele irá mesmo. Bill, podes aparecer, mas não precisas de jogar, para assim não estragares o jogo da tua equipa. Apareçam, ele merece!

E o milagre aconteceu, o Pipi das Meias Altas cantou o “É Motorista”.

Mas o Fininho estava imparável:
- Esqueci-me de outra coisa, desejo uma caixa de mamas para o Preto, pois o stock está a acabar, e as mamas chinesas deixam os olhos em bico.
Infelizmente quando a notícia é boa, aparece sempre uma má: a saúde mental do Conan Vargas piorara, já chamava ao Padel “Padre”, e acusava o “corretor”, que todos sabiam querer dizer “Cociolo”, pelo sucedido. Era a prova de que o desporto nem sempre significava “saúde” quando se escolhem más companhias para o praticar!



Wednesday, June 14, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 96 - Cara ou Coroa


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 27

Os 40 anos do Futebol P.A. devem ser divididos em duas Eras, tal como são os Jogos Olímpicos, Era Antiga e Era Moderna. A primeira teve como lema “Sexo, Drogas e Rock’n Roll”, e foi o tempo onde reinou o Capitão Porão, pois em tudo o que acontecia  sentia-se a sua presença, desde apanhar com a bola por trás (“ouviste o eco?” – Fininho), ou pela frente (“em cheio na kona” – Chico Paulo), até quando alguém ficava estendido no chão (“mandem o capitão dar-lhe apoio que ele levanta-se já” – Peidão). A Era Moderna chegou quando o Pona acabou com a carreira desportiva do velho militar, e o lema mudou para “Futebol, Drogas e Rock’n Roll”. Das drogas saiu a cerveja e entraram os comprimidos, e para o Rock’n Roll o pai do Clark Kent trouxe o karaté do idoso, que deu origem a fabulosos golos inconscientes. No “futebol” manteve-se o tradicional biqueiro! Paço de Arcos na Era Antiga sempre foi uma vila dividida ao meio, tal como num jogo de futebol, de um lado estavam os malucos (Pinguim, Pingalim, Papagaio, Balatuca, Tubarão, Néu, Lucinda Careca, Jaquim Jaquim, Manel Ai Ai, Joãozinho Fuzileiro, Álhi, Chico Americano, Nogá, Jójó, Frank Bomba, Octanas, …) do outro os marginais. Mas havia dois no meio, o Grilo e o Taka Takata, que alternavam entre um lado e o outro consoante o tipo de erva que fumavam. Na Era Moderna tudo se misturou, e a sapiência parece agora pender para o lado dos anciãos. 
Esta é uma estória de dois domingos em que o Preto escolheu com o Peidão, mas não foi necessário o uso de um bloco para registar as escolhas. Teria o doutor sofrido uma transformação? A dúvida foi desfeita quando, após escolher o mano Espalha para guarda redes chegou o Brinca na Areia, logo escolhido pelo Peidão:
- Não, não, quero o Brinca na Areia, - gritou, negando o mano e afastando-se da zona do sorteio, tentando intimidar o adversário.
Não conseguiu o que queria, mas conseguiu levar o filho do Laranja a prolongamento, ou seja, ficou sujeito a um sorteio após a constituição das equipas, onde foi usada uma moeda exclusiva da terra do tio Isaltino. Mesma assim quando saiu “coroa”, e ele escolheu “cara”, gritou “vitória” e afastou-se. Mas o Peidão precavera-se! Trouxera o Rato para juiz e ele ditou a verdade. A partir desse momento o Preto tentou levar para a sua equipa todos os que iam chegando, arriscando-se a uma certa altura a fazer um inédito jogo de 2 equipas contra uma. A vítima deste domingo foi o Clark Kent que, após levar com uma bola na cara, caiu inanimado no chão e foi acordado por uma voz do além:
- “Espíritos vierem cá abaixo e disserem que a minha avó morrera de bubadeira”!
No segundo domingo a estória repetiu-se, a moeda tornou a entregar o Brinca na Areia ao Peidão, e para fugir à normalidade o Preto não reagiu. Mas aproveitou-se de um entorse do filho do Laranja no aquecimento e em vez de fugir do doente como habitualmente, prontificou-se a medicá-lo. O pé melhorou, mas afetou a sua saúde com as bolas, transformou-o em Bill! O Peidão tinha agora dois Bills na equipa, dois? Dois não! Três, porque apareceu tarde e a más horas um mini Tangerina. O agora jornalista macaense jogou dúbio como habitualmente, os outros dois só jogaram entre si, como matrecos, vinham buscar a bola atrás e perdiam-na a meio campo, culpando depois os amigos do Bill pelos golos que iam entrando. O Taroulo conseguiu algo impensável, marcou quatro! O resultado do jogo não poderia ser outro senão 13 a 4. Mas está suspenso! Pela primeira vez a equipa do Fininho ganhava em golos, mas como as regras do Futebol P.A. são para serem aplicadas, a vitória foi para a equipa que ganhou por quatro, e tudo isto devido à “Lei do Azar” que diz que “nenhuma equipa poderá ganhar por 13, sendo imediatamente reduzida a zero caso o faça”! Mas a lei ainda não foi homologada, o tio Isaltino ainda não pagou o que deve às finanças. Quando o fizer haverá retroactividade. Por isso o Fininho precaveu-se e ficou com uma dupla vitória, beneficiou da “Lei da Repescagem”, tendo o seu nome transitado para a equipa futuramente vencedora. O jogo teve tantos casos que levou à constituição da “Associação das Vítimas do Paulão”, uma das crias do lendário Choné que, devido a ter sido também medicado pelo Preto, outra justificação não é viável, distribuiu mimos atrás de mimos, possivelmente devido a alucinações australianas, onde viu cangurus em vez de jogadores. Para terminar fica o registo do cada vez mais abichanado jogo de Padel, onde o Big Mac só joga depois de pôr pó de arroz, um produto da última colecção da drogaria do Zé da Antónia!

Thursday, May 25, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 95 - Cabeça Louca


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 26

Os jogadores do Futebol P.A. perduram para lá das vitórias e das derrotas. Foi mais um domingo em que o Fininho empatou na secretaria graças a uma nova, e oportuna, lei desportiva. E tudo se passou com o pai do Clark Kent que se distraiu e apanhou com uma bola na cabeça, que fez ricochete e entrou na baliza adversária, tendo recebido de imediato o elogio de um nativo que ia a passar (Regra da Cabeça Louca – “Quando uma bola, recolocada em jogo pelo guarda redes, é introduzida na baliza adversária, tocando apenas uma vez na cabeça de um elemento da mesma equipa do guarda redes, são registados 2 golos se a atitude do jogador que toca com a cabeça na bola for inconsciente, ou 3 golos se a atitude for consciente e determinada”). Com este golo o do pai do Chico, que está para lá da fama e não tem alcunha, elevou-se a um estado de mitificação, mostrando a todos que o futebol para ele é permanente e irresponsável. Foi o empate final, a equipa do Tio Mino passou de 3 – 6 para 6 – 6! O Bill esteve mais uma vez em destaque, quando se recusou a aliviar uma bola à sua frente, atirando as culpas do golo que a sua equipa sofreu para o Peidão, que estava de costas. E tentou desculpar-se, citando um amigo já falecido:
- “Chovia e trovojoava, então eu vivi ao mundo, vierem as senhoras da assistencial mais o baternário e disserem que eu era só pele e osso”
No final do jogo o Carcaça, após introduzir cinco euros na caixa de pagamentos, pôs em causa a idoneidade do contabilista e entrou em transe:
- “Estou-te a ver / Agora não posso / e disse per favor / meu irmão não há no mundo uma palavra iniamor / E não e não dequidirás / chegar ao fim / E guardas o do céu e do rostro da cidade / E da sua infelicidade e da amizade por daqueles que de quem sofrem / É mentira numa povre discussão / Mas que te direi / Chegar ao fim / Mas qui tudo, mas qui tudo, mas qui tudo da criação”!
Só o Caramelo o compreendeu, apoiando a decisão do “não pagamos”, julgando que a sua atitude de “geração rasca” iria demover a “geração em branco” que, num abrir e fechar de olhos os enviará, com registo de receção, para as quintas feiras. De notar que o Caramelo enganou o Carcaça, pois ele também não pagou, como começa a ser regra e consta no livro dos devedores. O Espalha prepara-se para castiga-los severamente, na próxima época se quiserem jogar, só Padel, e com os amigos. Os velhos irão organizar-se para outra freguesia, como é habitual. O Bill, jornalista atento, confidenciou que irá fazer um estágio em Macau, e que este tipo de questões monetárias revelam jogadores que, por alguma contingência da vida, estiveram internados no Hospital Dona Estefânia, na cama 38, onde morreu a 20 de Fevereiro de 1920 a beata Jacinta, que lhes transmitiu fluidos espirituais.