miguelbmiranda@sapo.pt

Tuesday, March 28, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 88 - As Bolas do Bill


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 19



Até o Chico Papa, adepto ferveroso do Futebol P.A., e vigário, não resiste a falar do Bill nas homilias em Roma:
- “Perde o sentido de direcção e não é mais capaz de olhar em frente, sofre um retrocesso”!
Confidenciou que gostaria de canonizar alguém em Paço de Arcos, já que a vila assistiu a várias ressuscitações do Choné para a modalidade rainha, aguardando com grande expectativa a seguinte, após a expulsão do Tio Mino, um conhecido inquietador de almas, acusado de vários desmandos:
- “Estás passado da cabeça escrever assim na QLombos? Todos sabemos que passas a vida a mandar os teus amigos para baixo, mas assim já não tem piada, muito menos para quem te acompanhou nos primeiros passos do Padel. Por estas e por outras vamos deixando uns para trás!”
A modéstia deste arquitecto de Cascais, expulso do concelho pela Câmara de Oeiras, revelou-se incompatível com a dúvida metódica lançada pelo Tio Mino no whatsapp sénior da Quinta dos Lombos, através do telemóvel de outro atleta:
- Acham imaginável uma pessoa dobrada pelos fardos espirituais, de tórax estreito e contraído, com a cabeça enfeitada e com um temperamento patológico incurável, ser jogador de Padel?
A pergunta era pertinente, a maior parte das reformadas, a quem chamava russas, deixou cair as dentaduras de tanto rir, e o grupo preparou-se para entrar numa fase de introspecção. O Incha Padel já era alvo da curiosidade do National Geographic, o Espalha acabara de assinar um acordo entre os cientistas e a câmara para a construção de uns campos da modalidade, para assim atrair os nativos desta tribo, e com isso divertir a comunidade científica. Havia um jogador que se julgava o alfa da matilha, o guru do Incha, mas era necessário construir um parque de estacionamento para o atrair. E quando os ânimos pareciam ter serenado, o Big Mac confidenciou que no passado já jogara à bola lá para os lados de Sintra, e que estava tentado a calçar de novo as chuteiras, para assim melhorar a saúde funcional, que piorava de cada vez que jogava com o Conan, pedindo para arbitrar umas partidas sob a orientação do Choné. Voltemos ao desporto rei! Foi um jogo que se desenrolou sob condições meteorológicas adversas, só equivalente àquele memorável jogo nos Maristas onde a pluviosidade foi tanta que era preciso nadar para conseguir marcar golos, e onde no final o capitão Porão se viu rodeado, debaixo de um telheiro, por uma resma de tenrinhos em cuecas, tendo-se ajoelhado, não para apanhar o sabonete, mas para agradecer o milagre à virgem, mesmo sendo ateu, e tudo graças a Deus. O Chico Papa aguarda assim mais dois milagres, depois do golo do Bill na baliza adversária no anterior, e neste domingo chuvoso assistimos a uma transformação, o Chico Paulo foi iluminado pelo Espírito Santo e transformou-se em Chico Cristiano, estreando-se com um novo gesto técnico, o biqueiro canhão! Em Paço de Arcos já são assim dois os pastorinhos, não de ovelhas, mas da bola, só falta mais um para Roma nos abençoar desportivamente! Mas há muito tempo que não havia tantas queixas, até o ato legal de agarrar a bola foi questionado, e isto influenciou o resultado, que ainda está indeterminado e a estória já vai a meio. Poderia um jogador repor a bola em jogo à entrada da pequena área da baliza adversária, com o guarda redes distraído, em vez de ser na linha lateral direita a meio do campo, local da falta? O jornalista Bill disse que sim! Foi quando o jogo terminou, não por causa da visibilidade reduzida como era tradição nos Maristas, mas porque o Chico Cristiano amuou e fugiu.
- Saí porque começou a chover, - explicou mais tarde à comunicação social.
Desta vez o Ulki rematou de encontro à bochecha esquerda do Zé Miguel, filho do Peidão que marcou um soberbo golo de cabeça com o cocuruto e os olhos fechados, que, por breves instantes, ausentou-se do campo, e conseguiu ver a cara do vizinho que ateara fogo à barraca, em Vila Fria, do Craveiro Lopes, nascido em 1918 em Requeixo, Aveiro, e da Quitéria Barbuda, nascida em Paço de Arcos em 1924, que os obrigou a fugir para a vila de Paço de Arcos, e aí tornarem-se figuras públicas à força. Para uns o resultado foi de 5 – 4, a equipa do Peidão cilindrou a do pai do Baloteli, para outros foi um empate, caso a reposição da bola aos pés do Espalha, o Casilhas paçoarcoense, seja considerada válida pelo Conselho de Disciplina, dirigido pelo Fininho, que em formato Tio Mino apresenta “incompetências sociais graves em ambientes chiques” segundo o sobrinho da Uber do Isaltino. No final do jogo assistiu-se a algo que definiu o resultado da partida, 5 - 4, comportamento importado da modalidade da Quinta dos Lombos, com parque de estacionamento: o Bill baixou as calças, e o exibicionismo atingiu o ponto de caramelo quando todos se aperceberam que cada esférico do jornalista tinha uma cor única!






Wednesday, March 22, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 87 - O Capachinho do Choné


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 18


O jogo deste domingo ficará para a História após a descoberta arqueológica feita pelo homem do momento que, contra a corrente do jogo, deu a vitória à sua equipa. O Bill excedeu-se, desconfia-se que, tal como o Caramelo que deixou de marcar golos de cabeça e passou a usar o biqueiro como arma letal, sinal da passagem da adolescência para a idade adulta, acaba de mudar de nível de jogo, já marca na baliza adversária. Terá deixado de ser adulto e agora é sénior, com direito a desconto no passe? Ficámos a saber que o Baloteli é órfão de pai vivo quando foi confrontado pelo Caramelo que o acusou de não dispor da mesma educação do progenitor:
- Fui federado 5 anos, capitão de equipa, nunca levei um cartão amarelo, por isso não admito que te dirijas a mim nesses termos!
Porque as equipas foram escolhidas pelo Preto e pelo Peidão, tiveram de ser registadas, para que o primeiro não desse início ao jogos com os atletas do adversário:
6 – 5 foi o resultado injusto, por isso iremos provar que a equipa do Fininho tem toda a razão para apresentar queixa no Órgão da Justiça Futebolística, presidida pelo jogador mencionado que, na sua imparcialidade intocável, reporá a justiça do jogo.
Preto: Rafael da Silva, Carvão (Preto Junior), Pai do Baloleti, Baloteli, Caramelo, Laranja, Brinca na Areia, Bil e Bailarino
Peidão: Taroulo, Zé Miguel, Goucha, Milhas, Fininho, Carcaça, Ulki, Tio Kiki e Chico Sá.
Como no Superbolas, fazemos um curto intervalo no relato para falar de coisas supérfluas, como por exemplo o Incha Padel.
- Conan exageras em pôr as bolas na rede, - disse o hilariante Cociolo, comentador desportivo do Incha Padel, após a grave lesão na cabeça, e continuou. – O Marreco está desportivamente muito quitado.
Porque é que o Tio Kiki desistiu do Incha Padel e está agora ao ataque no Futebol P.A.? O aumento do tráfego de atletas no desporto rei, o único com dois códigos de justiça, o da estrada para acidentes sem bola, e o do Fininho para incidentes com bolas, é inversamente proporcional à sua diminuição no Incha Padel, que está praticamente reduzido a dois fósseis, o Conan Vargas, jogador, e o Cociolo, o proxeneta desportivo. Do desporto constituído por almogados da bola ficamos por aqui, o interesse está todo voltado para a descoberta arqueológica do Bil no Lagoas Parque. Mais uma vez neste domingo ficou patente que tocar no Brinca na Areia continua a ser falta, amassar o Taroulo é falta contra o próprio. A descoberta já foi classificada como a do século e aconteceu quando o Bil marcou um soberbo golo de cabeça, depois de ter escorregado em algo, que foi atirado para a cabeça do bailarino, deixando-o com um invejável cabelo marciano. Mas antes de marrar na bola o Bill ouviu o barulho de um gole dado com força pela Quitéria Barbuda no gargalo da garrafa de tintól que comprara no “Severino Seco”, não sem antes ter pedido 10 tostões de manteiga, meia-quarta de café, uma quarta de arroz, pondo com brusquidão uma garrafa vazia em cima do balcão, tendo o senhor Fernando perguntado, “é para pôr petróleo”?. Depois ouviu murmúrios que caiam uns sobre os outros, atordoados pelo turbilhão de sentimentos do antes, do durante e do depois.
- De quem é este jogador? – Perguntou alguém
O Bill abriu os olhos e viu olhares hostis, medonhos e perversos, estava naquela equipa e na outra. Algo o fizera escorregar e fazer um gesto técnico que contrariava toda a sua carreira de atleta do Futebol P.A., marcar um golo na equipa adversária, por isso protestou desesperado. A autoridade máxima da partida anulou a jogada, daí o resultado oficial ter ficado num impate a 5 – 5, com tendência de vitória para a equipa do Fininho (0,5), que pelas leis desportivas arredonda-se, e procedeu-se de imediato à análise de tão intrigante prótese. Foram recolhidas amostras de ADN, e comparadas com os vestígios de caspa, e coincidiu com o perfil genético do Taroulo, o tufo só poderia pertencer ao pai: era o lendário capachinho do Choné!






Friday, March 17, 2017

O comandante guélas - Série Paço de Arcos 86 - Despojos Desportivos


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 17


Para o Incha Padel vão todos os amolgados do Futebol P.A. A notícia da lesão do Cociolo, um dói dói no Tendão de Aquiles, teve um impacto na moral da tribo os jogadores fizeram uma festa!
- O Cociolo lesionado!? – Perguntou o Espalha. – E não é na cabeça?
O arquitecto tinha razão, os genes do Cociolo tinham-lhe colocado o Tendão de Aquiles no lóbulo frontal, fazia parte de uma tribo paçoarcoense, que excluía o Conan, mas onde pululavam nomes sonantes da vila, como o Chato Louco, o Grilo, o Cara de Cadáver, o Boquinhas, o Bai e o Taka Takata. Para o Conan abriam-se agora múltiplas oportunidades, a começar pelo estatuto na modalidade, o rival era agora oficialmente mais coxo que ele:
- O Cociolo pode ir acompanhando a minha evolução!
O Big Mac aproveitava a desgraça do amigo para o aconselhar:
- Aproveita o interregno para fazeres algum desporto. Pingue Pongue, sempre treinas a mão!
Já se fazia negócio com os despojos dos enfermos:
- Conan, tenho aqui para te alugar a raquete do Cociolo, a perna do Choné e as chuteiras do Tio Mino! – Anunciava o Focas.
No desporto da élite, o futebol, onde os jogadores são uns fanáticos da precisão, joga-se para pôr a bola no fundo de qualquer uma das balizas, que diga o Milhas que já tem no currículo vários autogolos, um objectivo humanamente impossível para a maioria, o jogo decorreu dentro dos parâmetros normais, o Ulki fartou-se de meter a bola à sua frente e correr atrás dela sem nunca a conseguir apanhar, fazendo lembrar a lendária Lebre Caixa de Óculos, Mac Macléu Ferreira, e do lado do Fininho nunca houve penáltis, mas do outro a grande penalidade foi uma constante. Ele bem avisara na véspera que iria estar presente e que só sairia de lá com a vitória. No fim todos se aperceberam que o Bill tinha regressado, depois de um estágio de um mês na China no Shandong Luneng, do empresário paçoarcoense Pierre Pomme-de-Terre. No relvado o resultado ficou 5 – 3, mas no relatório estão registados vários incidentes, como a honestidade do Taroulo, um valor transmitido pelo pai Choné, um atleta que refloresceu várias vezes para a bola, que depois de ter provocado uma falta, que foi anulada pelas circunstâncias, declarou:
- “Juro que acho que não!”
 O novo ar da bomba do Maninho Ensina estava a transformá-lo num jogador implacável que, além de marcar um golo soberbo, deixou as marcas dos pitons na bochecha esquerda do pai do Balotelli.


Monday, March 06, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 85 - Rodopiando


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 16


Bem pode o Big Mac desfilar o rol de grandes paçoarcoenses com quem joga Padel há meia dúzia de meses, Conan Vargas, Tio Mino, Cociolo, Tio Kiki, Chinoca, Olho Vivo, Focas, Choné, Velhinho, Chico Sá, que nunca terá um pé de página de memórias desportivas, em contraste com os quarenta grandiloquentes anos do Futebol P.A., onde jogam grandes desportistas da vila, toda uma geração da cultura, do empresariado e das universidades. Estes chegarão ao meio século, os outros só se houver um milagre! O Conan era o único atleta, repito, o único atleta com margem de progressão no Padel e descambou, não foi capaz de fazer a transição da frigideira para a raquete, pois acaba de partir mais uma, por isso o Focas apareceu, disse-lhe “eu só jogo com amigos”, e tentou vender-lhe uma “Pita Negra”, comprada no Casão Militar na secção das frigideiras, por 1700 euros, com a ajuda do Milhas, raquete que joga sozinha e tem estacionamento automático. E por falar em estacionamento, o Cociolo é um padeleiro de assumido pessimismo milheriano que só joga em campos com parques de estacionamento, e toma vinagre ao pequeno almoço, por isso faz parte do património etimológico que enriquece a vila de Paço de Arcos, apesar de só jogar no Casal do Cotão e na Brandoa.
- Comprei uma pala no Streetpadel, - disse o Conan tentando impressionar o Cociolo, pensando ficar assim livre dos constantes atos de booling do amigo.
- Tens de parar de pôr a culpa na pala. Isso é um desvio de responsabilidade óbvio!
“Desvio de responsabilidade óbvio”?? Tinha ido longe de mais, tornara-se num assassino de carácter, a única modalidade acessível aos vesgos por ter uma rede de lado, estava a ter efeitos tóxicos semelhantes à cannabis sobre o arquitecto de Cascais, por isso o arquitecto de Oeiras ameaçou castiga-lo severamente:
- O Masters Portugal Word Padel Tour vai realizar-se em Oeiras e o Cociolo é o único que vai pagar o bilhete! – Sentenciou o Espalha.
Vindo da área da saúde alguém tentou serenar as depressões:
- Ninguém joga nada por causa dos sapatos, e andam todos a comprar raquetes, - exclamou o Preto, calçando os croques e entrando para o campo, dando a entender que o controle estava na cabeça.
O Chico Paulo manteve a tendência para a queda, mas esquecia-se que o esférico era outro e não havia balizas nesta nova modalidade, por isso não levava golos para casa, mas sim arranhões. O Incha Padel estava a caminho da guerra civil, as raquetes estavam a ser contadas: Gold Crown Piton 3.0, Dunlop, Ranger Max, Black Crown e Pierre- Pomme-de-Terre.
Mas falemos de coisas sérias, deste domingo! Para que o Fininho, que faltou, possa homologar o resultado do jogo, 6 – 3, as equipas foram devidamente registadas em papel, para memória futura, mas acima de tudo para que o Preto não pudesse roubar jogadores na altura em que os atletas estivessem a colocar-se no meio campo respectivo.

Equipa do Preto: Taroulo, Preto Filho, Clark Quente (ou Faisão), Henrique BF (à espera que o Fininho lhe atribua um nick name), Caramelo, Branca de Neve (BF bronzeado), Brinca na Areia, Laranja, Pai do Chico, Tiago Fino (à espera de atribuição de uma nova identidade) – 11.
Equipa do Peidão: Espalha, Cabeça de Ananás, Zé Miguel, Rafael da Silva, Carcaça, Maninho Ensina, Cebola (primo do Rafael), Chico Paulo, Milhas, Bailarino, Cabeça Vermelha – 12.

Durante a partida foi notória a crise futebolística da família Laranja, com o mais novo a atirar-se constantemente para o chão, e o mais velho a atirar os outros. Mas na outra ponta a festa era brava, com o Milhas a ameaçar tapar a boca ao Taroulo, um queixinhas crónico, com fita adesiva para caixotes. O primo do Rafael da Silva não teve a vida facilitada e foi o responsável pela cebolada da sua equipa a meio campo. Limitou-se a ouvir, como novato não tinha direito a responder. A falta do maestro foi notória, o Cabeça de Ananás foi várias vezes projectado na grande área, e o pai do Chico só assinalou livre indirecto fora da zona. Fosse a vítima da equipa do Fininho, e seriam de certeza marcados dois penaltis sem guarda redes!  Por isso o veredito só poderá ser um, o mais justo: Preto 6, Peidão 7 (os três marcados e os penaltis duplos convertidos).

Monday, February 27, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 84 - O Mata Velhos


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 25


Esta é uma estória de dois domingos, o primeiro e o segundo, e um escândalo no Incha Padel: booling!
- Falta alguém? – Pergunta sempre o anafado Conan.
- Tá fechado, - é a resposta recorrente do hilariante Cociolo, que se julga o maior jogador da Costa do Estoril, desde os tempos em que jogava raquetes com o Carinha da Avó, à beira mar na praia de Paço de Arcos, e se recusa a jogar com coxos.
Mas para que o Clark Kent, ou Faisão do Lagoas caso ponha um pompom no topo do cocuruto, não vá a correr dizer à Judite que ganhou o jogo, razão porque saiu mais cedo e empurrou a equipa para a derrota, o Tio Mino levou a taça, como é tradição, nas duas modalidades! A maior parte dos futebolistas arrasta-se pelo campo com lágrimas e ais, e um jogador arrisca-se sempre a sair com mamas, caso se lesione e tenha o azar de ser socorrido. Por isso o Fininho tem sempre um papel essencialmente cívico, esforça-se por levar as luzes aos jogadores moribundos, começando por desenhar a sua silhueta no chão e avisando-os:
- Vem aí o Preto!
Até ao primeiro domingo a ideia universalmente aceite era que se o Tarolo jogasse seria sempre um problema para a sua equipa, mas descobriu-se a solução: para encher a bola é preciso uma bomba, e para o Maninho Ensina jogar, também. O Choné optou então por comprar uma garrafa de CO2 (“qualquer gás serve”) em segunda mão a uns soldadores, que deu para arejar as suas duas crias, e o efeito sobre o mais novo foi imediato:
- Eu sou um superdotado, tenho um Q.I. de 162! – Informou os presentes após duas inalações.
Agora todos sabiam porque é que o Tarolo “desevoluia” sempre à medida que o jogo decorria, perdia a noção da condução da bola, despistava-se nos contra ataques, levando sempre o Peidão a implorar-lhe:
- Não largues a bola, se entrares pela baliza também é golo!
Era falta de dióxido de carbono, o oxigénio fazia-lhe mal, por isso o seu futuro não está na Terra, mas sim em Marte. Houve mais novidades! O Caramelo, um exímio jovem que marcava conscientes golos de cabeça, apercebeu-se que acabara de entrar na terceira idade, marcou dois inconscientes golos de biqueiro, com o estilo do pai do Chico.
No segundo domingo o encontro foi renhido, o Brinca na Areia por pouco ia enterrando a equipa, mas graças ao Taroulo, já só com O2, a vitória sorriu à equipa mais psicologicamente preparada, pois quando estava a perder pela diferença de três, o Peidão gritou:
- Lembrem-se da estatística!
O Ulki, também conhecido como o Canhão do Padel, foi injustamente acusado de cometer um delito, e transformou-se, sentiu-se uma valorização dos decibéis, que se tornaram cada vez mais agudos à medida que aumentavam, sendo imediatamente absolvido pelo dono do espaço desportivo, que acusou severamente o delator:
- Não é falta, é burro!
A estória acaba com um incidente de trânsito grave, e mais uma vez com o Taroulo envolvido! Foi visto a correr em redline, e a soltar ratés, na direção da baliza defendida pelo lendário Fininho, que se queixara de um micro rasgão na zona de entrepernas, lesão tipicamente padeliana sinal de que o jogador já não consegue frenar o movimento do braço, devido ao peso da raquete:
- Então os nossos tomates são maiores? – Gabou-se um dia o Big Mac
Por isso o Fininho recuara para a zona que ele julgava ser de conforto. O choque foi tal que o guarda redes substituto do gigante Espalha rodopiou no ar, fez barulhos esquisitos, ouviram-se dobradiças a ganir e aterrou de emergência na área que deveria ser exclusiva dele. A indignação do Maninho Ensina, um irmão com vocação de oráculo, perante o gesto abominável do irmão foi tal, que se aproximou para o castigar com um feedback pedagógico:
- Tens de ter cuidado, senão ainda matas o ombro ao velho!