miguelbmiranda@sapo.pt

Wednesday, April 26, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 91 - As Bolas do Fininho


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 22

Quando o Fininho sentiu o esférico, embalado por um biqueiro do Zé Miguel, bater-lhe violentamente nas bolas, soltou uma tosse surda e passou a ver tudo desfocado, desproporcionado. Tateou no escuro, tentando encontrar algum interruptor que lhe acendesse uma luz. Quando acordou deu de caras com o Presidente da Câmara Municipal de Baião de 1940, Joaquim Cabral, que, por o ver com as mãos na fruta, o informou:
- Caro senhor, é penálti por ser o autor da introdução de um Pangásio, gamado do aquário do menino Élinho, na ribeira de Barcarena!
Regressou à realidade quando ouviu um amigo desabafar que, se fosse no tempo dos Maristas, já estaria a ser socorrido por aquele cujo ganha pão fazia eco de cada vez que a bola o atingia com uma violência idêntica a esta. Há dois caminhos para a relação de cada jogador com o Futebol PA, um de aceitação das regras do Fininho, por decorrência da importância, o outro o da tentativa, infrutífera (por não estar ainda legislada), de aplicar o Direito à “herança desportiva genética”. Foi isso que aconteceu quando o Brinca na Areia reclamou grande penalidade, por ter laranjas no seu código genético, após ser agarrado, para não progredir com bola para a baliza, pelo todo poderoso Tio Mino, que lhe respondeu:
- Estás doido, eu posso agarrar, vai fazer queixa ao papá!
Foi um jogo que decorreu dentro da normalidade, a equipa do Fininho perdeu por 10 a 3, mas levou a vitória para casa, houve mais uma alteração das regras de contagem (“Lei do Resultado Relativo”), tendo a equipa adversária perdido dois golos de cada vez que marcava um, para não ser arrogante! Mas o jogo só seria normal se o Bill mantivesse a tradição de prejudicar a sua equipa, esperança que caiu por terra quando marcou um golo aos adversários. Ainda tentou justificar-se com uma visão da Irmã Lúcia com a cara do Rato sentada na trave da baliza adversária, com uma boina à Che Guevara, acenando-lhe com dois caranguejos-peludos-chineses, um em cada mão, que o distraiu:
- E quem deu o biqueiro foi o irmão dela, o Chico Marto.
A influência de Fátima no Lagoas Parque foi evidente, o Milhas recebeu elogios, e o Fininho só mandou vir com o seu colega de equipa, o Carcaça, ateu, chegando a invocar o seu nome durante um contra ataque sem bola, quando foi solicitado por aquele a passar-lhe o esférico. Estas estórias mostram-nos que as emoções oscilam muito no Futebol PA, sente-se uma harmonia, uma paz e uma serenidade que não se encontra noutras atividades desportivas. Por não ter nada disto no Incha Padel o Conan Vargas, o mais promissor jogador da modalidade a seguir ao Cociolo, meteu baixa, não se sabe se por sarampo ou psiquiátrica!

Friday, April 14, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 90 - Profissão de Fé

Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 21



Ainda o galo, descendente das galinhas da mãe do Chato Louco, não tinha anunciado um novo dia, e já o Carcaça aquecia à porta do Lagoas Parque, para assim não ter que ir à baliza. Aproveitou uma pausa na preparação para mais um inesquecível jogo e deu uma espreitadela nos cartazes para as eleições dos Corpos Gerentes do Futebol P.A.:
- Um velho com um ar gaseado, dizia “Não ao cimento, só queremos estacionamento”;
- O outro avisava, “ Se tens cuidado com o teu cagueiro, não votes no Maneleiro”;
- E mais outro, “Se não marcas golo vota no Taroulo”;
- “Se não tens graveto, vota no Preto”;
- “Gostas de leitão, vota no Peidão”;
- “Sentes-te sozinho, vota no Cuzinho”;
- “Se és amigo do Macara, vota no Vara”;
- “Se queres notas de mil, vota no Bill”;
- “Se não és nenhuma menina vota no Maninho Ensina”;
- “Se queres livrar-te do Tio Mino, vota no Isaltino”.
O jogo deste domingo depressa ficou resolvido com a vitória inequívoca da equipa do Fininho que, meia hora depois do início do jogo, atingiu a marca dos 3 -0, com um triplo agradecimento ao Bill, sinal de fim da partida e início do treino (“A equipa que chega aos 3-0 ganha por diletantismo, o resto é treino” – artigo 3º do Código Teológico do Futebol de Paço de Arcos). O Peidão ensinou então ao jornalista como se marca um golo de calcanhar na própria baliza, o Ulki ia-se transformando quando sofreu três golos de rajada, e só acalmou quando o Fininho o informou que já estava em treino, sinal de que, além de problemas com os pés, tem também graves lacunas nas mãos, nada que o impeça de querer uma carreira brilhante na bola. Desta vez o acidente de trânsito mais grave foi quando o Zé Miguel foi abalroado pelo Carcaça, que o atirou de encontro ao relvado. Por momentos, e por ser já uma tradição, teve acesso ao passado da vila, e quando regressou contou ao papá que deu de caras com um menino matulão equipado a rigor para o Crisma, que iria chumbar, cujo cantar era uma oração:
- “Tenho uma rata no sótão / Ao pé de uma lata de tinta / Todos os dias lá vou / Ver se a rata já pinta!”.
Regressou ao campo quando uma menina de branco parecida com um sapo lhe tentou dar um ósculo na praia de Paço de Arcos! O Big Mac do Incha Padel estava tão agradecido aos seus companheiros de desporto do Futebol P.A., que lhes prometeu um cardeal com bengala para a baliza. Mas como o tempo era de política, havia um jogador já com um cargo políticos garantido:
- O Bill será vereador do Saneamento, passa a maior parte do tempo de jogo no balneário, e quando resolve jogar só faz merda.
Mas o acontecimento desportivo da vila mais grave foi a agressão que o Big Mac sofreu durante uma partida de Padel, quando a sua orelha direita foi alvo de um atentado, alguém, ou o próprio, fez embater uma frigideira no referido pavilhão. Mais tarde  Conan Vargas explicou às repórteres da revista “Focinhos:
- Graças a este incidente o meu colega padeleiro ficou a jogar melhor e a gostar de polvo!



Tuesday, April 04, 2017

O Comandante Guélas - Série Paço de Arcos 89 - As Lágrimas do Milhas


O Comandante Guélas

Série Paço de Arcos

Futebol P.A. 20

No Futebol PA não há jogar mais ou jogar menos, há “jogares” diferentes, porque são criaturas morais que sonham com o desporto rei, que conseguem jogar a olhar para elas próprias no passado, sendo esta a razão porque é que a maior parte dos ataques tem mais de cem anos! O nosso vício é esférico, mas é um esférico do tamanho de uma abóbora, e não um tomatinho com reumatismo. Os do Incha Padel são uma espécie ruminante, que vão a rastejar para os jogos, não por devoção, mas devido aos males de que sofrem! Esta modalidade desumaniza o paçoarcoense, a sufocante ausência de jogadores atira-os para a comida. O jogo deste domingo, dia 2 de Abril do Ano da Graça de dois mil e dezassete, foi disputado no campo do Real Porto Salvo, por isso o acesso era condicionado aos príncipes do esférico, o Bill não pode jogar, os do Padel não puderam assistir, os atletas bizarros Conan e o Cociolo foram proibidos de usar fitas panascas no complexo popular da Quinta dos Lombos e o Milhas entrou devido à quota para refugiados! Por ser num espaço inabitual, o Peidão e o Preto não escolheram as equipas, foi o Rafael da Silva e o Cabeça de Ananás. E aconteceu algo inédito na estória dos quarenta anos do Futebol P.A.: os “escolhedores” jogaram na mesma equipa! O colega do Preto superou o tio nas artes do engano, por isso o Fininho não perdeu 9 – 3, porque no final do jogo escolheu ter jogado na equipa vencedora! O Espalha Casilhas passou a maior parte do tempo a dormir, mas teve ainda tempo para uma boa ação, devidamente registada no relatório do jogo, após uma convulsão, seguida de biqueiro, do Milhas:
- Deixei a bola entrar porque me pareceu que o Cuzinho estava a chorar!
A uma dada altura, após um salto de gazela, o Chico Sá começou a deitar fumo pelas orelhas, vendo ao longe o senhor Bazílio, que era da mesma vila mas não do tempo dele, em cima da carroça puxada pelo burro, a sair da carvoaria, para mais uma distribuição de carvão pela zona:
- Morreu cedo, atropelado na curva da morte, a caminho da praia velha – disse-lhe o coronel Osório, que estava sentado ao seu lado no balneário dos edifícios da antiga Companhia dos Cabos Submarinos junto à praia de Carcavelos.
O calendário à sua frente indicava 30 de março de 1971, o dia do casamento da Quitéria da Conceição e do António Filipe na igreja de Paço de Arcos. Foi salvo pelos agradecimentos ruidosos ao Taroulo por ter contribuído para que a equipa adversária marcasse mais um, de muitos golos, à sua equipa, uma fabulosa cabeçada do Peidão. Regressou ao seu tempo, sinal de que fazia parte do lote de jogadores paçoarcoenses com um Padrinho muito poderoso:
- Tenho de me confessar! – Prometeu.
E fê-lo mais tarde à comunicação social:
- Isto de Iron Man, Escalada, Mma, Padel e Futebol tem riscos.
Mas o Bill, ateu graças a Deus, demonstrou ter falta de cultura motora:
- “Mma”?? É abreviatura de mamar?