miguelbmiranda@sapo.pt

Sunday, May 13, 2012

O Comandante Guélas - Série Colégio Militar 1 - O brinquedo blindado

Comandante Guélas

Série Colégio Militar



O Peidão (191), o Azias (369), o Pani (103), o Teta (332), o Madiura (556), o Zacarias (666), eram por altura do 25 de Abril de 1974 Meninos da Luz e como tal estavam a ser preparados para a defesa da pátria, que estava em debandada das Províncias Ultramarinas. À entrada do edifício das Companhias, que eram quatro, havia vestígios de outras guerras, dois canhões do primeiro conflito mundial, que serviam para o senhor Delgado tirar as fotografias da praxe, enviando depois a conta exorbitante diretamente para os encarregados de educação, por isso era mais conhecido como o Chulógrafo, um tanque da Segunda Grande Guerra, por baixo do qual todos os ratas eram obrigados a passar e, acabada de chegar, vinda diretamente de África, uma soberba Panhard. O batalhão estava formado no pátio quando o brinquedo e o oficial que o trazia o estacionou. Depressa a auto metralhadora ligeira foi despojada de todos os acessórios, sofreu mais nas mãos destes meninos do que nos vários anos em combate contra os turras. Numa bela noite de verão uma mão cheia de adolescentes danados para a brincadeira, e com insónias, e um oficial malandro, foram protagonistas de uma aventura digna do Major Alvega, o herói desta geração. O tenente era pequenino mas a tabuleta que usava no braço esquerdo, com a inscrição de “COMANDOS” dava-lhe um ar cruel e implacável. O Bico (220), o Galinha (492), o Cavalo (8), o Coiote (95), o Pitosga (485), o Gordini (601), o Cão (328), o Morena (398), o Peixinho (591), o Xicaca (544), o Mijón (534), o Horrível (125), o Vinesse (305), o Escalope (307), o Cabedo (120), o Pejó (121), o Judi (136), o Minhoca (280), o Sorridente (288), o Peida Gorda (668), o Loira (667), o Cu-de-Senhora (122), o Barrada (664), o Bétis (653), o Xoxo (652), o Six (607), o Bicuda (157), o Elefante (300), o Vaca (320), o Leitão (384), o Camélia (299), o Pencas (33), o Bina (19), o China (338), o Peugeot (403), o Brumi (418), o Barbas (362), o Labras (104), o Fiasco (562), o Jóia (491), o Picanço (612) e mais os outros artistas do início, pegaram no brinquedo blindado e empurraram-no até ao ginásio, no topo do colégio. Por essa altura o tenente estava a entrar no seu Mini branco estacionado junto às bombas de gasolina, dando início à ronda. O blindado já estava pronto para a partida mas faltava ainda arranjar lugar para uma mão cheia de soldadinhos, que não faziam questão de vir a pé. O 125 (Horrível) era o motorista e avisou os passageiros de que não era aconselhável permanecerem parados durante muito tempo, pois o Xavier, o Celestino, o Moca, e outros vigilantes poderiam andar pela zona. Avisou também de que o checklist tinha detetado a ausência do travão de pé.
- O travão de mão basta, - disse o 191 (Peidão).
Quando o monte de meninos se pôs em movimento, o pequeno “COMANDO” já vinha a entrar no pátio em marcha lenta, não fosse estar alguém a evadir-se por alguma das janelas da sala de leitura da quarta companhia. O blindado, tapado com uma mão cheia de garotinhos fardados de cotim cruzou-se com o funcionário careca da cozinha, o Meia-Lua, e a deslocação de ar quase o atirou para o chão. Só faltava uma reta seguida de uma curva para a esquerda, que se abria depois num vasto pátio onde o batalhão costumava desfilar antes do almoço, caso o oficial de dia fosse daqueles que adorava ter 600 meninos, desde tenrinhos a peludos, a marchar só para ele. Quando o tenente pequenino com uma tabuleta no braço direito a dizer “COMANDOS” em letras maiúsculas e a bolt fez a curva que o levava para os lados do ginásio, deu de caras com um blindado a transbordar de alunos. Um reflexo inesperado fê-lo galgar o passeio e salvou-lhe a vida, uma vez que o Horrível (125) não fazia questão de puxar pelo travão-de-mão, mas sim passar a ferro o Mini branco. A Auto Metralhadora entrou pelo pátio a alta velocidade e acabou a viagem sozinha, pois os garotinhos evaporaram-se como éter, cada um para a sua caminha.









1 comment:

Rui Jorge said...

Muito bom!422/74