miguelbmiranda@sapo.pt

Tuesday, March 04, 2008

Camarada Choco 57 - O Bicho da Fruta (Triologia) - I

                         Camarada Choco
                                          Pré-Contágio

                                            Aventura 57


- Mas o que é que se passa na minha propriedade? Porque é que os escravos estão todos mascarados aqui no r/c?
- É por causa do bicho lá de cima, - respondeu alguém, por detrás de uma burca.
- Eu não dei ordem ao animal para descer e portanto declaro que não há “Bicho da Fruta” aqui em baixo. Acabou-se o Carnaval e vão já directos para os vossos postos de trabalho, - disse a Proprietária do Estabelecimento, apontando com o dedo. – Só gostava de saber quem é que lhes meteu esta ideia na cabeça?
- Pssst, pssst, - chamou uma voz vinda da penumbra da casa da caldeira.
- Fantasma?! O que é que faz aqui.
- Eu sei quem é que distribuiu as máscaras.
- Diga-me já e eu dou-lhe parte do cheque do velho da colónia.
- Foi….tttttt, - e o recado foi entregue como de costume, indicando jogar nos dois campos.
- O que é isso do “Bicho da Fruta”, Dra. Sem Canudo? – Perguntou bruscamente a mãe da Trovoada, vinda da porta de entrada.
- “Bicho da Fruta”?! Não! É uma brincadeira, elas são muito brincalhonas, - e deu uma ordem brusca com a mão, indicando de novo o caminho às escravas.
- Não se brinca com o “Bicho da Fruta”! – Atirou a encarregada de educação, já um pouco desconfiada.
- Aqui brincamos com tudo, somos muito brincalhonas.
- Também brinca com o “Bicho da Fruta”?!
- Não. Alguma vez eu deixava o “Bicho da Fruta” vir passear para o r/c ? Nem pensar, só se fosse desaparafusada. Cada qual no seu cantinho. E o bichinho está muito bem agasalhado lá em cima no meu hotel.
- O pessoal que vai ao Centro da Vila fazer o “Teste do Mantorras” já pode entrar na carrinha, - informou em voz alta o inconveniente Primo do Choco, com a expressão de quem estava em vias de criar um soberbo cagalhão.
- O “Teste do Mantorras”?! – Indignou-se a mãe da Trovoada voltando para dentro da “Quinta Canudo”. – Afinal, o “Bicho da Fruta” anda por aqui e estão a querer esconder a verdade.
- A verdade são as suas duas propriedades, - impôs-se a Proprietária, estendendo a mão e mostrando alguma ferocidade naquilo que fazia. – Com duas casas, uma delas clandestina mas em zona turística, tem de pagar mais pela reeducação impossível da sua Desaparafusada. Senão vai direitinha para a Escola Pública, - ameaçou, mostrando estar a par da nova política educativa. – E lá ela vai ficar pior!
Ao seu lado estava o Ministro, mostrando o carinho e o gosto que sentia ao exibir a sua língua, estilo afiambrado chinês. Só duas partes da Proprietária continuavam a desafiar a compreensão dos Aparafusados.: a sua mente e o seu saco azul. E sabia-se muito pouco do conteúdo de ambas. Mas o Primo do Choco já estava atrasado para o almoço e ainda nem tinham ido mostrar o braço ao “Centro de Bichados”. Por isso carregou de tal maneira na buzina que até a Moca se insurgiu. Mas o homem já estava perto de uma convulsão, pois mal se apercebeu que os Desaparafusados já estavam todos nos respectivos lugares, pôs pata a fundo e saiu com o “machibombo” a guinchar, passando por cima de alguém que vinha carregadinho de pincéis. A entrada no estabelecimento de possíveis tísicos, e ainda por cima Desaparafusados com má-cara foi, mais uma vez, recebida com receio e desconfiança. E para marcar território o Papagaio arriou uma mija tão poderosa na muge da sala de espera, que transformou por momentos o local na Ribeira do Jamor. Mas a campainha tocou quando alguém atingiu a marca de 16, recorde absoluto neste estranho jogo do “Bicho da Fruta”. O barulho perturbou a prestação de um dos participantes do “Jogo da Escarreta”, que consistia em tentar acertar num balde amarelo pendurado numa parede com o dístico futurista “deixe aqui a sua expectoração”, levando-o a perder o controle da sua “verdinha”, que se espalmou de encontro a um cartaz da Luta contra o Bicho da Fruta e descaiu, deixando rasto como o caracol, para cima dos copos de plástico da água fresca.
- De quem são estes tomates? – Perguntou a Madame Electrochoque, agarrando no material que estava no primeiro degrau da escadaria que levava à Universidade Professor Doutor Nélinho, no sótão, onde o Camarada Choco fazia agora a sua teses de doutoramento.
O caso estava a agravar-se, o “Bicho da Fruta” atacava em todas as frentes.
- Está cheio de caruncho, - disse a Dona Firme.
- Nestes já nem os cães tocam.
Ninguém reclamou as peles, mesmo com elas penduradas no vidro dos Serviços Administrativos.
- Só há uma solução, que é ver qual dos machos é que passou a fazer chichi sentado, -sugeriu o Fantasma ao ouvido da Proprietária.
A sugestão foi bem aceite , as fêmeas receberam por sms autorização para espreitarem pelos buracos das fechaduras. O sinal de alarme surgiu quando apareceu outro par de tomates à entrada do Bar.
- É o bicho, é o bicho, vai-nos devorar, - gritou a Psicóloga Loira, correndo para a rua.
- Têm marcas de baton, - informou a Dona Espatinha apanhando a fruta podre do chão.
Analisava-se agora o andar dos elementos masculinos, para tentarem descobrir os donos dos vegetais.
- Ele está a abanar mais as ancas, - disse a Dona Piúlia, apontando.
- Sempre abanou, - exclamou a Menina Tatrícia, passando rápido.
- Bom-dia, - cumprimentou um macho, muito macho, com uma voz fininha, que depressa mudou para grossa, chamando a atenção de todos os elementos femininos que normalmente se encontravam na entrada.
-Está um sentado na retrete, - gritou alguém de longe, precipitando uma multidão de investigadoras para a casa-de-banho.

Fim da Primeira Parte

Segunda Parte – A maldição dos Bichados
Terceira Parte – O Regresso dos Desaparafusados

5 comments:

Daniela said...

Agradeço que não use o meu blog p fazer publicidade aos seus feitos, pode ser?

Obrigada...

Templo do Giraldo said...

Pois é camrada choco cá estamos novamente.
Obrigado pela tua passagem. ja sabes quando quiseres passa por la outra vez. seras sempre bem vindo.

saudações.

Anonymous said...

Percebe-se que escreveste isto tudo antes de tomar os medicamentos!
Excelente prosa.
Eu se fosse a ti nunca tomava a medicamentação pois podes estragar o escrito.
Se até o "bicho da fruta" gosta porque é que tu não havias de gostar.
Vai para a bicha que já te atendo

Anonymous said...

Porra é essa?

Templo do Giraldo said...

http://templodogiraldo.blogspot.com/


Passem por aqui.


SAUDAÇÕES.